Conversão da linha digitável em código de barras e vice-versa


Para calcular a data de vencimento, o valor, etc., é só preencher os campos abaixo.

Digite a Linha Digitável:
Digite o Código da Barra:
Verificação do Vencimento:
Verificação do Valor:

Nos campos acima é possível simular ou validar campos que constam em um boleto bancário de cobrança. Dados como "data de vencimento" e "valor" são facilmente identificados, se observadas as informações contidas na página como calcular o "Vencimento e valor do boleto", deste blog. Também é possível converter a "linha digitável" do boleto na "representação numérica do código de barras" e vice-versa. Você pode fazer quantas simulações quiser.

Importante: em caso de dúvidas, e antes de efetuar qualquer pagamento, consulte o seu banco ou o emissor do boleto bancário.

Boleto bancário poderá ser pago em qualquer instituição após vencimento

Febraban fará com que todos os boletos passem a ser registrados em uma única plataforma até o fim do ano

A forma como milhões de brasileiros pagam suas contas começa a mudar a partir de março. Alvo de fraudes milionárias nos últimos anos, os boletos bancários vão ficar mais modernos. O benefício mais visível para o cliente será a possibilidade de pagamento em qualquer banco mesmo após a data de vencimento. Por trás da inovação, está um projeto da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) que fará com que todos os boletos passem a ser registrados em uma única plataforma até o fim do ano. A nova forma de cobrança também mudará a forma como empresas e instituições financeiras organizam os pagamentos.


O número de boletos emitidos no país chegou a 3,7 bilhões em 2015. A movimentação chamou a atenção de quadrilhas que se especializaram em fraudar os documentos. Sem o registro, o banco só toma conhecimento da emissão do boleto quando o documento bate na compensação, o que facilita a ação dos criminosos. No ano passado, o volume de recursos desviado com o golpe chegou a R$ 320 milhões, de acordo com dados preliminares da Febraban.

Com o novo sistema, a empresa que emitir uma cobrança precisa enviar os dados para o banco, que alimenta a plataforma. No momento do pagamento, os dados do código de barras serão comparados com os registrados no sistema. "Se as informações não estiverem na base, ou o boleto foi fraudado ou não foi registrado", afirma Walter de Faria, diretor-adjunto de operações da Febraban.

A nova plataforma também deve evitar outros problemas recorrentes envolvendo boletos, como o erro no preenchimento de informações e o pagamento de títulos em duplicidade, segundo Faria. As mudanças ocorrerão de forma gradual. Em março, entrarão no sistema os boletos com valor acima de R$ 50 mil. Dois meses depois, as faturas a partir de R$ 2 mil passarão a ser registradas. O cronograma se estende até dezembro, quando 100% das cobranças devem estar na plataforma.

O processo de adaptação dos sistemas de bancos e empresas emissoras corre bem e não deve haver atrasos, segundo o executivo. Originalmente, o sistema estava previsto para entrar em operação no início deste ano.

Embora o registro não seja obrigatório, Faria espera que a adesão seja ampla, já que os títulos que não estiverem na plataforma só poderão ser pagos no banco ao qual estão vinculados. "Além disso, os fraudadores provavelmente vão monitorar as empresas que decidirem operar o sem registro", afirma.

A perspectiva da entrada no novo sistema de cobrança ainda não inibiu as quadrilhas especializadas no chamado "golpe do boleto". "A percepção é que houve uma migração recente da fraude de pessoas físicas para organizações maiores", afirma Fernando Carbone, diretor da Kroll, consultoria de riscos que tem sido contratada por empresas lesadas com o golpe. Carbone diz que a soma de recursos desviados de clientes nos últimos meses foi de aproximadamente R$ 21 milhões.

Em geral, a fraude ocorre com um vírus instalado no computador do pagador do boleto. Mas as quadrilhas também se especializaram em encontrar falhas na página da internet ou e até em obter informações com funcionários da empresa emissora do boleto, segundo o diretor da Kroll.

Além de dificultar a ação dos golpistas, o registro dos boletos na plataforma vai mudar o cotidiano de uma série de companhias. A principal preocupação é com o aumento de custos. O valor da cobrança registrada vai depender da negociação com os clientes, mas a tendência é que seja maior do que o sistema atual. "Os bancos podem negociar um valor menor no registro e compensar com uma tarifa nos títulos que forem liquidados", diz Eduardo Morishita, gerente de Produtos do Bank of America Merrill Lynch (BofA).

Os impactos da mudança serão diferentes dependendo da forma que cada empresa realiza sua cobrança. Entre os segmentos mais afetados está o de comércio eletrônico. Com o novo sistema, quando um consumidor optar por fazer uma compra com boleto, o documento precisará antes passar pelo sistema do banco. Hoje, esse processo é feito de forma automática pelo site.

As vantagens do novo sistema, porém, devem mais do que compensar a mudança no procedimento, segundo Dênis Corrêa, gerente-executivo da diretoria de soluções empresariais do Banco do Brasil. No BB, além de o sistema permitir a emissão e o registro do boleto de forma simultânea durante a compra, o processamento da operação será feito em 30 minutos, contra um dia que a loja precisa esperar hoje para saber se o boleto foi pago e despachar o pedido. "Trata-se de um benefício tremendo para o comércio", diz.

Quem também deve mudar a forma de atuação em consequência da mudança são as entidades que se valem da emissão de boletos como forma de arrecadar recursos, como as ONGs, associações e igrejas. Como a maioria dos títulos não é paga, o custo do registro pode não valer a pena. De forma indireta, o novo sistema de cobrança de boletos pode afetar até a competição bancária. Com a possibilidade de pagamento de boletos vencidos em toda a rede, instituições de menor porte devem ganhar maior competitividade em serviços prestados a empresas. "Com a mudança, cai por terra o argumento de que as empresas precisam de um banco com rede de agências em cash management [gestão de caixa]", afirma Annali Duarte, diretora dos negócios de transações bancárias do BofA.

Fonte: cpadnews

Boletos vencidos poderão ser pagos em qualquer banco, diz Febraban

Previsão da Febraban é que mudanças comecem a valer a partir de março nos bancos e correspondentes bancários que aderirem à nova plataforma.

Quem perder o prazo para pagar algum boleto poderá procurar qualquer banco ou correspondente bancário que tiver aderido à nova plataforma de pagamentos a ser implementada a partir de março, segundo previsão da Federação Brasileira de Bancos (Febraban).


"A Nova Plataforma de Cobrança trará benefícios para o consumidor e para a sociedade, como maior facilidade no pagamento de contas vencidas, além de evitar o envio de boletos não autorizados”, afirma Walter Tadeu de Faria, diretor-adjunto de Negócios e Operações da federação.

De acordo com a associação, o sistema atual de cobrança funciona há mais de 20 anos e precisava ser atualizado. Com a mudança, além do pagamento após vencimento em qualquer agência bancária participante, a nova plataforma permitirá a identificação do CPF do pagador, facilitando o rastreamento de pagamentos.

Quando o consumidor fizer o pagamento, será feita uma consulta à nova plataforma para checar as informações. Se os dados do boleto coincidirem com aqueles que constam no sistema a ser implantado, a operação é validada.


"Se houver divergência de informações, o pagamento do boleto não será autorizado e o consumidor poderá realizar o pagamento exclusivamente no banco que emitiu a cobrança, uma vez que essa instituição terá condições de fazer as checagens necessárias", afirma a Febraban.

Fonte: G1

Boleto bancário poderá ser pago em qualquer agência após vencimento

Nova Plataforma de Boletos de Pagamento - Cobrança Registrada

A FEBRABAN - Federação Brasileira de Bancos, em conjunto com a rede bancária, está desenvolvendo uma Nova Plataforma da Cobrança para modernizar o sistema de boletos de pagamento (cobrança bancária), trazendo maior segurança e agilidade para toda a sociedade.

Para tanto, alguns procedimentos foram iniciados e serão concluídos até dezembro/2016, para que, em meados de 2017, a nova plataforma esteja em pleno funcionamento.

A implantação da referida plataforma observará o seguinte cronograma:

Faixa de valor
Data de inicio de validação
Igual ou superior a R$ 50.000,00
13.3.2017
Entre R$ 49.999,99 e R$ 2.000,00
8.5.2017
Entre R$ 1.999,99 e R$ 1.000,00
10.7.2017
Entre R$ 999,99 e R$ 500,00
18.9.2017
Entre R$ 499,99 e R$ 200,00
23.10.2017
Igual ou inferior a R$ 199,99
11.12.2017

Fatos e curiosidades sobre boletos bancários de cobrança

I - o boleto bancário de cobrança, tal como conhecemos hoje em dia, com linha digitável e código de barras, "nasceu" em 3/1/1994 (fonte: Banco Central do Brasil - Carta-Circular nº 2.414 de 7/10/1993);

II - antes do atual modelo de boleto existiam as "fichas de compensação", emitidas em 3 vias - ficha de compensação, recibo do sacado e documento de caixa - (fonte: Banco Central do Brasil - Circular nº 238 de 19/11/1974;

III - o boleto bancário é um documento que só existe no Brasil;

IV - estima-se que são pagos 3,5 bilhões por ano de boletos bancários;

V - em "quantidade" de transações, os boletos só perdem para os pagamentos efetuados pelos cartões de débito ou crédito;

VI - já em "valores", os boletos representam cerca de 39% de todos os pagamentos efetuados;

VII - por ano, são identificadas 50 mil inconsistências no boletos;

VIII - em 2015 as fraudes com boletos aumentaram 140% em relação a 2014; e

IX - para 2016 estima-se um aumento de 40% de fraudes em relação a 2015.
Dicas e alertas

Alterações dos dados do boleto podem acontecer de diversas formas. Para garantir sua segurança, sempre confira as informações que estão no seu boleto, tanto na tela do computador quanto no documento impresso. Valor, nome do beneficiário, marca e código do banco e numeração do boleto devem ser iguais em todo o documento.

Para evitar que seu boleto seja adulterado, é importante que alguns procedimentos sejam adotados. 

Primeiro, é essencial que o antivírus do seu computador esteja sempre atualizado. Caso precise imprimir uma via de boleto pela internet, evite imprimir em computadores que você não conhece. 

Evite clicar em links desconhecidos para geração de boleto, pois você pode estar sendo direcionado para uma página falsa com boleto adulterado.​

É importante também que você não use sites de busca para encontrar o endereço do banco e/ou prestador de serviço. Digite o endereço direto no navegador! Não sabe o endereço correto? Pergunte ao banco ou ao prestador de serviço. 

E não se esqueça: sempre confira os dados do boleto – impressos ou os que chegam a sua residência – com os que você já pagou nos meses anteriores. 

Para conferir os dados, é simples: